No dia 21 de Novembro abre a exposição coletiva Calder Now, no Kunsthal Rotterdam, na Holanda. Com curadoria de Dieter Buchhart, Anna Karina Hofbauer e a Fundação Calder, a mostra explora a influência duradoura e inconfundível do mestre em escultura Alexander Calder na arte contemporânea, colocando mais de vinte esculturas suas ao lado de obras de dez proeminentes artistas: Olafur Eliasson, Žilvinas Kempinas, Simone Leigh, Ernesto Neto, Carsten Nicolai, Aki Sasamoto, Roman Signer, Monika Sosnowska, Sarah Sze e Rirkrit Tiravanija. A mostra encerra para visitação em maio de 2022. 

Alexander Calder (Estados Unidos, 1898-1976) instigou muitas inovações artísticas revolucionárias. Em sua busca para ir além das três dimensões espaciais – tornando a quarta dimensão do tempo um elemento proeminente e indispensável de sua obra – Calder conseguiu transformar a compreensão contemporânea da escultura. Ele foi o primeiro a remover a escultura de seu pedestal, suspendendo-a no ar. Com seus móbiles dinâmicos que podiam se mover livremente no espaço, ele foi um dos pioneiros – ao lado de artistas como Marcel Duchamp e László Moholy-Nagy – do movimento de arte cinética que revolucionou a natureza estática da arte no início do século XX. Calder se tornou uma fonte de inspiração para as gerações subsequentes de artistas.

Os dez artistas internacionais em Calder Now mostram peças que não poderiam ter existido sem a precedência de vários aspectos inovadores da obra visionária de Calder. A exposição conduz o visitante por uma experiência multissensorial. Olafur Eliasson, por exemplo, usa fenômenos naturais como a luz para explorar a percepção. Simone Leigh conta histórias sobre a história da escravidão americana por meio de materiais humildes. E Monika Sosnowska transforma materiais arquitetônicos em esculturas inesperadas que desafiam a gravidade, criando novas conexões visuais entre sua arte e o espaço de exposição. O laureado com o Prêmio Calder 2007 Žilvinas Kempinas, cujas esculturas estão na intersecção da instalação e da arte cinética, vai estrear uma nova peça para ‘Calder Now’. Da mesma forma, Aki Sasamoto criará um novo trabalho performático especialmente para a exposição durante sua residência no Atelier Calder, que opera na casa e no estúdio de Calder em Saché, França. A exposição mostra como o legado de Calder continua a inspirar e informar a prática contemporânea cinquenta anos após a morte do artista. Esses artistas inovadores convidam a novas conversas e interpretações de sua obra.

SERVIÇO

Calder Now, exposição coletiva

Datas: 21.11.2021 – 29.05.2022 / terça a domingo – 10h – 17h

Local: Kunsthal – Museumpark, Westzeedijk 341 -3015 AA Rotterdam, Holanda