Galeria Leme

English Instagram
+ Exposições

Alexandre Brandão

19.02.13 _ 16.03.13

Crash, 2013

Em sua primeira exposição individual na Galeria Leme, o artista Alexandre Brandão apresenta obras que possuem como elementos centrais a Luz, a Geometria e a transição do carvão e do grafite como ferramentas do desenho para partes componentes de sua obra.

Na obra Crash, composta por luminárias de mesa montadas sobre estantes de partitura, o artista insere recortes que interferem com sombras na forma circular da luz projetada na parede. As luminárias funcionam como dispositivos de fabricação de formas geométricas,
criando uma relação de agente e resultado atravéz da luz e do espaço. Na obra Áurea, duas luminárias posicionadas frente a frente e divididas por uma fina cortina de tule parecem deixar a projeção e o foco flutuarem, e de acordo com o movimento do tecido criam-se
interações entre as duas formas circulares do foco de luz.

Em seus trabalhos com carvão, Brandão busca criar formas geométricas de linhas retas – do cubo a poliedros de diversos formatos – que interagem com o papel ou com o espaço de diferentes formas, porém sempre como em um jogo de dados. Na obra Big Bang os cubos são
lapidados pelo artista a partir de um pedaço bruto de carvão e posicionados em uma caixa com papel branco na base. Ao ser jogado diversas vezes nesta caixa o carvão cria um desenho sempre diferente.

No trabalho Caixa de Jóias, os pedaços de carvão são lapidados com formas geométricas que lembram diamantes (ambos substâncias compostas de carbono, porém com diferentes graus de pureza) e jogados na junção entre paredes e chão, criando um desesenho no espaço. Neste trabalho a ferramenta do desenho, que é o carvão, já é a própria forma, uma vez que é lapidado geometricamente, e ao desenhar no espaço reúne em um só momento agente, ação e resultado.

Em Lápis, o grafite aparece com o descascar de um lápis até sua última farpa. O artista retira toda a madeira que envolve a matéria utilizada para o desenho e o processo de apontar, que precede o ato de desenhar, se torna um procedimento de criação imagética.

Sobre o artista:
Alexandre Brandão (Belo Horizonte, Brasil, 1979). Vive e trabalha em São Paulo.
Formado em artes pláticas no ano de 2005, Alexandre Brandão já participou de exposições coletivas como 17º Festival Internacional de Arte Contemporânea SESC- Videobrasil (2011), SESC Belenzinho, São Paulo, SP, Sismógrafo, Palácio das Artes, Belo Horizonte, MG (2011), V Bienal Interamericana de Videoarte (2010), Washington D.C., EUA, e do KunstFilm Biennale Köln, Kino in der Brücke / Kölnischer Kunstverein (2005), Colonia, Alemanha. No ano de 2012 Alexandre participou do PIESP – Programa Independente da Escola São Paulo para Artistas e Curadores sob a direção de Adriano Pedrosa.