Galeria Leme

English Instagram
+ Exposições

Milagros Sandra Gamarra

12.11.08 _ 20.12.08

Grupo, 2008

A artista peruana radicada na Espanha, idealizadora e fundadora do museu fictício e virtual LiMac, apresenta “Milagros”, sua segunda exposição individual em São Paulo. Desta vez, Sandra Gamarra transforma o espaçoda galeria Leme em um espaço eclesiástico, tentando estabelecer paralelos entre a experiênciaartística e a mística.

“Milagros”consiste em 13 telas criadas a partir de fotografias que a artista tirou em museus e galerias, nas quais um ou mais visitantes observam obras de arte. Também fazem parte da exposição “Nimbos”, escultura feita de auréolas de santos, e “Salmos”, uma instalação sonora. Ambas sãocompostas de elementos do universo religioso que, destituídos desuafunção original, criam novas tensões entre o místico e o estético.

Todas as peças pertencem à série “Novos Oradores e Novos Peregrinos”, onde a artista faz alusão à atitude do espectador em relação às obras e aos espaços de arte e também à peregrinação do público em direção aos museus e galerias.

Para Sandra Gamarra, mais que entender e apreciar, predomina um espírito de presenciar. Os espectadores, em geral, terminam por situar-se frenteàsobras de arte com a intenção de entrar em contato com uma verdade que ora se esquiva e ora é impenetrável.

Observar arte, antes de qualquer realidade filosófica ou política, passa a ser um ato de fé.

Sobre a artista:

Sandra Gamarra nasceu em Lima, Peru, em 1972. Atualmente, vive e trabalha em Madri. Entre suas principais exposições estão “Pipe, Glass, Bottle of Rum: TheArt of Appropriation”, Museum of Modern Art, Nova York (2008); “Trópicos”, Martin-Gropius-Bau, Berlim (2008); “Relíquias eRuínas”, SescSP, São Paulo (2008); “Located Work Project”, coordenado por Joseph Kosuth, La Casa Encendida, Madri (2008); “Existências –ColecciónMUSAC”, Museo de Arte Contemporáneo de Castilla y Leon, León(2007);“Urbe y Arte”, Museo de la Nación, Lima (2006); “Still Life”, Museo de Arte de Lima, Madri (2005); e “Emergencias”, Museo deArteContemporáneo de Castilla y León, León (2005). Sandra tem sua obra em coleções privadas e públicas como MoMA, Tate, Musac, Mali eobviamenteo LiMac.